ORFEU SPAM 12

Jornal Eletrônico de Poesias e Artes

Editor: Jayro Luna

ISSN: 1807-8311

Orfeu Spam é uma publicação trimestral de poesia, música e artes em geral.

São Paulo, janeiro / fevereiro / março de 2006.

Orfeu Spam está no ar desde janeiro de 2003

Voltar  

   Home Page

  Capa Orfeu Spam 12  

   Home Page

  Avançar

Sessão Let Me Traduce: H.P. Lovecraft

Nesta página você ouve "Spin, Spin, Spin" do disco II

 

Disco 1 do HP Lovecraft

 

Disco II do HP Lovecraft

 

Lovecraft, "Valley of the Moon"

 

H.P. Lovecraft, banda de Chicago, usava elementos psicodélicos e que empregou também arranjos barrocos (flauta, clarinete, espineta). George Edwards (Charles Ethan Kenning) somente tinha sido um folksinger (um discípulo de Fred Neil), mas ele se associou com o tecladista Dave Michaels (Miotke), que ostentava um treinamento clássico. H.P. Lovecraft (1967) contém o hino "ácido", The White Ship.
Depois de se mudar para a Califórnia, a banda lançou o disco II (1968), um álbum mais maduro que caracteriza outra obra-prima, At the Mountains of Madness, e pinta uma cor diferente para cada faixa (Electrollentando, Nothing's Boy, Moebius Trip).
Posteriormente George Edwards, David Michaels e Michael Tezga reformaram o Lovecraft e registraram dois álbuns um pouco inferiores aos dois anteriores: Valley of the Moon (Reprise, 1971) e We Love You Whoever You Are (Reprise, 1975).
Os dois álbuns ´primeiros discos estão compilados em único CD: Two classic Albuns from HP Lovecraft (Universal Music, 2000).

Ode Para H.P Lovecraft

(poema metamoderno pós-psicodélico)

    Para Howard Phillip, Hewlett Packard, Heitor Penteado e Hugo Pontes.

"All we want is to be able to do our own thing. It's not easy to do - for some, next to impossible, but H. P. Lovecraft struggles on." George Edwards.

 

O Barco Branco e A Máquina do Tempo...

Às Montanhas da Loucura!...

Sou um estrangeiro vagabundo

Lendo um Livro Maldito,

Navegando preguiçosamente

Num mar revolto

Em busca das chaves dos portões

do Céu e do Inferno...

Sombras Perdidas no Tempo,

Lembranças Eletrocutadas...

 

A Glória Pátria!

Um conto de Borges,

Uma homenagem de Cocteau!

O vôo altíssimo dum pássaro

Às Montanhas da Loucura!...

Spin, Spin, Spin...

Giro! Giro! Giro!

O giro das idéias desconexas se conectando,

O spin das partículas assimétricas no microcosmo!

O Barco Branco de minhas memórias ao nevoeiro...

 

 

 

Cartazes psicodélicos anunciando shows do HP Lovecraft em 1968. O HP Lovecraft notabilizou-se como uma das bandas mais psicodélicas dos anos 60. O próprio nome, referência ao escritor gótico inglês do século XIX, cria uma alusão ao jogo ambíguo entre percepção da realidade e realismo fantástico.

 

Voltar  

   Home Page

  Capa Orfeu Spam 12  

   Home Page

  Avançar